sexta-feira, 12 de maio de 2017

GNR




Depois de uma palestra em que participei, em Mangualde, na noite de ontem, perdi-me na cidade... Passava da meia-noite, não se via vivalma, andei de carro às voltas, a tentar descobrir o hotel, sem o GPS à mão.

A certo passo, cruzei-me com uma viatura da GNR, pedindo indicações. Iniciaram uma explicação mas, de súbito, disseram: "Siga-nos!" E, com imensa simpatia, conduziram-me até ao hotel, uns quilómetros adiante.

Há meses, falei aqui da experiência de um tratamento impecável por parte dos Bombeiros e da PSP, em Vila Real.

Ontem, a GNR de Mangualde confirmou-me que há, nos dias de hoje, um Portugal muito diferente, em matéria de serviço público. Para bem melhor.

5 comentários:

Anónimo disse...

Não me diga que ficou no Hotel de Ulgeiriça, que é muito agradável. Ou noutro, o das Caladas das Felgueiras, igualmente agradável. Foi algum destes? Conheço ambos e tenho de ambos muito boa opinião. E o bar do Hotel de Ulgeiriça é muito simpático. Com aquele british ambiente e decoração.

Anónimo disse...

O pior de Portugal é uma agenda mediática que esmaga o nosso quotidiano. Talvez por viver no estrangeiro consigo nada saber da visita do Papa, dos jogos de futebol, de Mariana,do festival da canção, de quem foi ou terá sido Ricardo Salgado. Mas é quase único o nosso sol e a nossa qualidade de vida. Trabalhar com portugueses é obra e tiro o chapéu a pessoas como o senhor Embaixador. Ao falar com pessoas de outro povo do Sul da Europa tento sempre decifrar o que se esconde por detrás da simpatia,com os portugueses tenho primeiro que desconstruir a esperteza,e por vezes a altivez, embora em matéria de altivez outro povo irmão do Sul não fique atrás. Conseguiria voltar a viver em Portugal, talvez no Algarve, mas com um satélite acoplado e a televisão portuguesa desligada.

Portugalredecouvertes disse...


temos a liberdade de escolher com quem falamos, quem queremos ouvir, e os canais que ligamos ou desligamos, os jornais que pretendemos comprar, os cantos que queremos visitar, as canções que gostamos de ouvir, a época do ano para ir á praia, ao campo ou à montanha, a escolha é nossa, então porquê tantos queixumes ?!

Anónimo disse...

De facto se calhar andamos mais bem vigiados do que há uns trinta anos.

Mas não terá sido pelo terrorismo ou pela droga que a Europa nos obrigou a isso.
Um carro a circular à noite por ruelas desertas numa pequena cidade.... hoje até se pode saber, se se quiser, quem vai lá dentro depois de se ter visto a matrícula e saber o proprietário.
Na Suíça já é assim há muitos anos por uma razão de segurança.
Mas há uns tempos, em Portugal, isso teria sido tomado por uma intromissão da autoridade "às amplas liberdades" do comum cidadão.
Enfim.... ele é a técnica e os aprelhos sufisticados.

Anónimo disse...

@Portugalredecouvertes.

Tudo isso até parece uma vida de consumidor bem ordenada. Queremos, temos de obter. Bem bem, não sei se a vida é só isso mas...logo se vê quando chegarem as más colheitas.