quarta-feira, 31 de maio de 2017

Pesca à linha

Diverte-me imenso o oportunismo de certa esquerda, alguma que tem tanto de crente como eu tenho de maçon, que passa agora o tempo a "pescar" frases do papa Francisco, que, de quando em quando, lhe "dão jeito", como se ele fosse uma espécie de guru esquerdalho. 

Verdade seja que fazem exatamente a mesma figura que alguma direita fazia quando cavalgava, com simétrico oportunismo, o hiper-conservadorismo (ia escrever reacionarismo, mas opto por deixar entre parêntesis) desse Ronald Reagan religioso que se chamou João Paulo II.

Esta adaptabilidade multi-usos dos chefes da igreja católica ajudará a explicar a sua sobrevivência? 

Posso imaginar que me venham dizer que isto é "areia demasiada" para quem é ateu.

5 comentários:

Anónimo disse...

O desnorte é tal que já se agarram a uma figura de prestígio como o Papa. Para os ateus e republicanos portugueses, face ao que o Papa representa, deve ser muito duro e amargo. Mas parece que ninguém consegue melhor.
Isto para o bem e para o mal está mesmo por um fio.
Wait and see.

Anónimo disse...

A nau Portugal está podre por dentro e "luzidia" por fora....

Anónimo disse...

Pronto, ficámos a saber que o senhor Embaixador, por ser ateu, não tem opinião sobre o que diz o Papa, da mesma maneira que também não deve ter opinião sobre o que diz um líder religioso muçulmano, etc, etc. Em sentido contrário, do mesmo modo, um católico, não deve ter opinião sobre o que diz um ateu como o Senhor Embaixador. Eu, por outro lado, nunca entendi isto. Eu recordo que nenhum Papa até agora se cingiu aos assuntos etéreos do sobrenatural e que todos sempre condicionaram a forma como vivemos. Já não têm a mesma influência e poder, mas continuam querer ser ouvidos por toda a gente, ateus ou católicos, sobre temas “mundanos”, clima, guerras, pobreza, etc. O Leão XIII fez uma revolução com as suas “encíclicas sociais”, incluindo o Rerum Novarum, quando se atreveu a falar no capital e no trabalho, e foi por aí fora, incluindo o João Paulo II que se meteu ainda mais diretamente na politica da guerra fria. Não lhes adianta nada, segundo parece, porque só quem é batizado e crismado é que pode mandar bitaites sobre o que eles dizem.

Anónimo disse...

O Papa diz o que a esquerda sempre disse (e raramente fez) que é aliás orquestra diz o evangelho (e que a Igreja nem sempre fez e em grande parte esqueceu) e o desnorte e o oportunismo é da esquerda? A última frase do Papa sobre o capitalismo como terrorismo é dedireita? Desnorte é de quem anda a dizer que o Papa (este e o anterior, aliás) não disse o que disse. Faiseus pos modernos.
Fernando Neves

Helena Sacadura Cabral disse...

Curioso este post. Tenho bons amigos de esquerda - já caiu em desuso a esquerda progressista, felizmente - que são católicos. Penso que Antonio Guterres continuará sê-lo, como muitos outros que conheci. Não vejo qualquer incompatibilidade entre estas duas posições. Mas concordo que o "aproveitamento ilícito", seja do que for, é lamentável.
Pior, quando aplicado a fé ou a ideologias.