segunda-feira, 26 de junho de 2017

Mourinho


Na minha adolescência, havia um Mourinho. Foi guarda-redes do Lusitano de Évora, do Vitória de Setúbal e do Belenenses, chegou a ser internacional (também na seleção militar), enveredando depois, por muitos anos, pela carreira de treinador.
Tinha um filho, José Mourinho, que é hoje uma grande referência dos treinadores do futebol mundial. Foi o pai quem o incentivou a estudar táticas e a "aprender" futebol.
Mourinho morreu hoje. A imprensa, escrita por gente de outra época, chama-lhe agora Felix Mourinho ou Mourinho Felix (até nisto hesitam) nomes por que, enquanto jogador, nunca foi conhecido em "A Bola", o "Record", "O Mundo Desportivo" ou "O Norte Desportivo" ("O Jogo", tal como a referência ao dragão, que faz parte do emblema das Antas, estava ainda longe de existir). Não sei porquê.
Morreu Mourinho. Está de luto o seu filho José Mourinho. É assim que deve ser.

1 comentário:

Anónimo disse...

Faz mais ou menos sentido, mas não todo.

Há uma tendência para dar nomes completos a muitos jogadores depois de deixarem o futebol.

Por isso é que descobrimos tantos Daniéis Kennedys, Hélderes Cristóvãos, Nunos Espíritos Santos e Diamantinos Mirandas.