domingo, 7 de janeiro de 2018

Gall


Hoje é o dia em que o “Les sucettes”, talvez mais do que o “Poupée de cire, poupée de son”, vai ser recordado nas rádios e televisões francesas. É que France Gall, neste que é o ano certo para se fazer 70 anos, decidiu partir. E Serge Gainsbourg, lá onde estiver, deve estar com o seu sorriso de sátiro, o mesmo que sempre usava quando interrogado sobre a intencionalidade escondida no genial elogio aos chupa-chupas que decidiu escrever. Recordemos a música aqui.

4 comentários:

Anónimo disse...

A França de Gainsbourge afins ja devia esta ha muito morta e enterrada.

Irrita-me perfeitamente esta vozinha que faz a rapariga, agora morta, como se fosse quase uma criança, um falsete que pas mal de francesas tem a mania de fazer. Parece-me uma infantilização da mulher (infantil talvez não seja o termo correcto, mas adolescente). Do mesmo modo que me irrita as canções francesas em que o velho macho reconforta a fraca jovem, género sea sex and sun do senhor Gainsbourg.

Prefiro mil vezes Brassens do que esta treta.

Anónimo disse...

a melhor da france é o "va t'en" tocada num programa de televisão com músicos americanos de jazz. genial era o marido, o berger. e sim, o gainsbourg também o era, tão ou mais que o brassens.

Anónimo disse...

Musiquinha de treta (como treta é tanta da cultura francesa com a qual sonha uma certa geração). Obrigado mundo anglossaxónico por nos libertares destas coisas! :)

Anónimo disse...

Anonimos de todo o mundo

unemo-nos!