segunda-feira, 8 de janeiro de 2018

Mário Centeno


Há erros de facto. Há lapsos de avaliação. Há perspetivas de opinião. Há ousadia jornalística. Há luta política.

E também há pura e miserável canalhice. É o caso.

Um forte e solidário abraço ao Mário Centeno.

9 comentários:

Reaça disse...

´Há ou houve políticos a quem qualquer "trapinho" lhe fica sempre bem.
Não é o caso presente.

Rui C. Marques disse...

Associo-me nesse abraço.

Anónimo disse...

É um ataque infame e ridículo. Estamos a viver um novo tipo de inquisição. Pseudo jornalistas fazem acusações mirabolantes insubstanciaveis que lhes vêm à cabeça e os visamos não têm condições para se defender
Fernando Neves

Anónimo disse...

Ehhh.
Ja de ha uns 8 anos para ca que parece que alguem se dedicou a importar o estilo brasileiro baixo, rasteiro, rafeiro, rastejante de fazer campanha (gestao de precepcoes na linguagem dessa gente) de opiniao publica.
Quando nao teem nada que possam realmente criticar arranjam coisitas e quando nem estas conseguem inventam. Mesmo depois de provado que nao era nada demais ja o estrago foi feito a vitima e os vermes sem espinha dorsal em impunidade. Estes vermes devem ser esmagados sem dó nem piedade e depois incenerados, caso contrario quando formos a dar conta estaremos infestados por essa especie.

Anónimo disse...

Senhor Embaixador
Não acha que o ministro das finanças se pôs a jeito?

Luís Lavoura disse...

Concordo com este post, mas também acho que Centeno tem (ou tinha, quando isto se passou) falta de habilidade política (não tem culpa, ele não é político profissional) e pôs-se a jeito para levar com este ataque.

Anónimo disse...

A questão não é dos bilhetes!
Até me parece bem, num país decente, que os membros do governo ou altas entidades tenham acesso livre a diversos eventos deste tipo!
A questão é do IVA (zinho)... Isto é que tinha de ser muito bem explicado, se já não foi porque não estou dentro do assunto.

Armando Pires disse...

Não passam de uns escroques a fazer "jornalismo".
Põem caca na ventoinha, mas bate-lhes sempre na cara.
Já não sei quem é pior, se aquele que escreve, se aquele que permite tal escrita ou de quem compra semelhante esterco.

Francisco de Sousa Rodrigues disse...

São os agentes do trauliteirismo dextro em ação, nada de novo.
A competência é tramada.